Qual foi o papel da Assembleia da Catalunha em 1971 e nos anos seguintes?

A Assembleia da Catalunha tinha reivindicações claras em relação ao futuro político-social catalão

O dia 7 de novembro tem dois significados marcantes para na história catalã. Na Catalunha do Norte, relembra-se a assinatura do Tratado dos Pirineus, de 1659. Esse dia é significativo por outro fato: há 50 anos, foi fundada a Assembleia da Catalunha.

Vale a pena ler: O que a Catalunha do Norte comemora no dia 7 de novembro?

Quais eram as reivindicações da Assembleia da Catalunha?

Para entendermos o papel da Assembleia da Catalunha, precisamos recordar qual era o contexto político-social em 1971. Naquele ano, a Espanha ainda estava submetida ao regime franquista, caracterizado por incontáveis casos de perseguições e torturas. Na Catalunha, um dos territórios mais castigados pela ditadura, entidades como Òmnium Cultural (fundada em 1961) combatiam a censura e a perseguição contra a cultura catalã. Entretanto, foi apenas dez anos mais tarde que outra entidade ampliou o campo de reivindicações.

A Assembleia da Catalunha surgiu na igreja de Sant Agustí, no bairro de Raval, em Barcelona. A entidade foi fundada por um grupo de representante do mundo profissional e intelectual catalães, que tinham em mente os seguintes objetivos para a Assembleia:

  • a concessão da anistia para todos os exilados e presos políticos da ditadura franquista;
  • o exercício das liberdades democráticas fundamentais, tais como as liberdades de reunião, expressão e associação, bem como de manifestação e de greve;
  • o reestabelecimento provisório das instituições e princípios configurados no Estatuto de 1932 (mais especificamente, a concretização das liberdades mencionadas e o pleno exercício do direito à autodeterminação);
  • coordenação de ações com as demais organizações democráticas ao redor da Espanha.

Vale a pena ler: 90 anos da Proclamação da República Catalã por Francesc Macià

A Assembleia da Catalunha foi um dos baluartes da resistência anti-franquista. Até o fim do governo de Francisco Franco e o início da chamada Transição Democrática Espanhola, a Assembleia da Catalunha organizou diversas manifestações. Uma delas foi no Dia Nacional da Catalunha, em 11 de setembro de 1976, que reuniu mais de 1 milhão de pessoas.

Vale a pena mencionar que essa manifestação foi a primeira não clandestina depois de muitas décadas. Naquele ano, no dia 8 de fevereiro, aconteceu outra manifestação organizada pela Assembleia da Catalunha. Aquela manifestação, imediatamente reprimida pelas forças policiais, sempre será lembrada pelas seguintes reivindicações: “Liberdade, Anistia e Estatuto de Autonomia“.

Uma inspiração para a atual Assembleia Nacional Catalã?

De fato, a Assembleia Nacional Catalã (ANC), fundada em 2011, teve a Assembleia Nacional como inspiração. Coincidentemente, ambas as entidades tiveram em seus grupos fundadores a mesma pessoa: Miquel Serallès.

Entretanto, as duas entidades foram fundadas com objetivos diferentes. Por um lado, a Assembleia Nacional lutava pelo reestabelecimento da democracia. Por outro lado, a ANC é uma entidade que luta pela independência da Catalunha.

Vale a pena ler: Aniversário de 4 anos do anúncio oficial do referendo de autodeterminação

CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Cadastre-se para receber as novidades do Aqui Catalunha