Jordi Campoy, em visita à Associação Cultural Catalonia: “Escrever é mais difícil”

Jordi Campoy é autor dos livros "La noia del violoncel" e "La cantant de fado"

Nessa sexta-feira, a Associação Cultural Catalonia recebeu, virtualmente, o compositor e escritor catalão Jordi Campoy. Durante a conversa, o artista, nascido em Sabadell, explicou como ele integra a música às suas produções literárias, e revelou que “escrever é mais difícil que compor melodias”.

Vale a pena ler: Netflix promete incluir 70 produções com dublagem e legendas em catalão a cada ano

“Cada vez há menos gente que lê”

Jordi Campoy, que, atualmente, escreve o seu terceiro livro, lamentou que “cada vez há menos gente que lê”. Segundo o autor de “La noia del violoncel” e “La cantant de fado“, as pessoas tendem a dar preferência às leituras mais rápidas, e expôs as publicações do Twitter como exemplo.

Sob o ponto de vista mais pessoal, Jordi Campoy admitiu que a escrita lhe transformou: “Hoje, sou capaz de expor mais as minhas emoções. Geralmente, os homens têm mais dificuldades para fazer isso”. O artista catalão também comentou sobre algumas informações que tinha sobre o Brasil e um pouco sobre a goleada do FC Barcelona contra o Real Madrid.

A conversa com Jordi Campoy foi o segundo evento organizado pela Associação Cultural Catalonia neste ano. Em fevereiro, a entidade recebeu a visita da influenciadora e criadora de conteúdos audiovisuais Juliana Canet.

O próximo evento da Associação Cultural Catalonia, ainda sem data divulgada, acontecerá no mês de abril, e terá como tema o Dia de Sant Jordi.

CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Cadastre-se para receber as novidades do Aqui Catalunha