Pablo Casado acusa professores da Catalunha de “castigarem alunos que falam em espanhol”

Pablo Casado acusa professores da Catalunha de fazerem "apartheid linguístico"

Nessa sexta-feira, Pablo Casado, deputado do Partido Popular no Congresso da Espanha, afirmou que há professores da Catalunha que “castigam alunos que falam em espanhol nas aulas”. Concretamente, o líder político disse que esses alunos “são proibidos de irem ao banheiro se não falarem em catalão”.

Vale a pena ler: Governo da Espanha afirma que sentença contra o sistema educativo catalão deve ser acatada

Mais acusações contra o sistema escolar catalão

De acordo com o líder do Partido Popular, algumas crianças foram “obrigadas a carregar pedras na mochila por falarem em espanhol na hora do recreio”. Nesse sentido, Pablo Casado acusa o sistema escolar catalão, bem como os partidos ERC, Junts per Catalunya e CUP de “assediarem” os alunos que falam espanhol na escola.

As palavras do líder espanhol foram ditas em um período de fortes críticas, por parte dos partidos a favor da unidade da Espanha, contra a imersão linguística em língua catalã. Para o deputado do Partido Popular e a líder do partido Ciudadanos, Inés Arrimadas, a imersão linguística em catalão propicia um “apartheid”, potencializado, segundo eles, pelo caso de uma família de um menino de 5 anos, de uma escola do município de Canet, que estaria sendo “segregado linguisticamente”. A família do aluno defende que as aulas sejam ministradas em língua espanhola, e não em catalão.

No dia 23 de novembro, o Tribunal Supremo da Espanha anunciou a confirmação de uma sentença que reduz o tempo de ensino de catalão na Catalunha. Assim, o Tribunal determina que, no mínimo, 25% das aulas nas escolas catalãs sejam em língua espanhola.

Vale a pena ler: Tribunal Supremo da Espanha impõe ordem que reduz o tempo de ensino em catalão na Catalunha

Manifestações em defesa da língua catalã

Neste sábado, 44 entidades educativas que integram a plataforma Som Escola irão às ruas para protestarem contra a sentença do Tribunal Supremo espanhol, e defenderem a “imersão linguística e coesão social fomentadas pelo ensino em língua catalã”. A mobilização tem como tema “Mobilize-se pela escola em catalão“.

A Assembleia Nacional Catalã (ANC) também estará presente na manifestação. Entretanto, a entidade independentista argumenta que o evento precisa ter um “tom mais reivindicativo”. Assim, a ANC se manifestará com o lema “Pelo futuro do catalão e da escola catalã, independência“.

 

CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Cadastre-se para receber as novidades do Aqui Catalunha