O referendo na Catalunha aos olhos da polícia britânica

O referendo na Catalunha, realizado em 1º de outubro de 2017, ganhou novos testemunhos. Ex-membros da polícia britânica, um deles da Scotland Yard, publicaram um documento em que confirmam o “pacifismo dos cidadãos” no dia da votação, e também em 20 de setembro daquele ano. As informações apresentadas pelos ex-comandantes Sir Hugh Orde e Duncan McCausland foram veiculadas pelo jornal britânico The Times. Ainda que os dados demonstrem o comportamento cívico dos eleitores, o Tribunal Supremo da Espanha rejeitou a utilização do relatório como prova pelos advogados de defesa dos presos políticos catalães.

‘Não há provas de violência dos manifestantes’, diz a polícia britânica

De acordo com as investigações dos ex-integrantes do corpo policial da Grã-Bretanha, “não há provas de que, na multidão, houvesse pessoas com máscaras tentando esconder sua identidade, como acontece em contextos de violência”. A conclusão foi feita após a análise de vídeos dos dias 20 de setembro e 1º de outubro de 2017. Orde e McCausland também descartaram “organizações violentas”, apesar de “um número reduzido de indivíduos envolvidos no episódio dos danos aos veículos da Guarda Civil” no dia 20. Em relação a Jordi Cuixart e Jordi Sànchez, líderes da Òmnium Cultural e da ANC, o informe policial destaca o apelo desses representantes ao “pacifismo  da concentração popular”.

Resistência passiva no referendo na Catalunha

Mais concretamente sobre o referendo catalão, o relatório afirma, com base em análise de mais de 200 vídeos, que a atitude dos eleitores diante dos policiais que invadiam os colégios eleitorais era de “resistência passiva”. O papel dos agentes policiais espanhóis, segundo a observação britânica, demonstra “uma combinação de atuações efetivas com o uso indiscriminado, violento e desproporcional da força”, uma consequência da “falta de ordens claras” por parte dos comandantes.

Para mais detalhes sobre o julgamento aos líderes independentistas ligados à organização do referendo na Catalunha, acesse as crônicas publicadas pelo Aqui Catalunha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *