Diplocat é reativado e faz campanha internacional

Um ano após o governo espanhol tentar eliminar as relações exteriores do governo catalão, em uma de suas ações ligadas à aplicação do artigo 155, Diplocat é reativado. O Diplocat, também conhecido como Conselho de Diplomacia Pública da Catalunha, é uma entidade criada em 2012 com o objetivo de projetar internacionalmente a Catalunha.

Notícia relacionada: Catalunha Internacional: uma breve apresentação

A primeira das ações de Diplocat é uma campanha para internacionalizar o Sant Jordi. O evento, dedicado ao padroeiro da Catalunha, contará com a presença de onze jornalistas de diferentes países, como Estônia, Reino Unido, Itália, Alemanha, Grécia e Eslovênia.

Ainda em relação ao Sant Jordi, o site Booksandroses.cat, resultado da parceria entre Diplocat e a Agência Catalã de Turismo, apresenta informações em língua inglesa sobre o evento, e difunde tudo que é feito ao redor do mundo para a comemoração. Além disso, no dia 3 de maio, Diplocat organiza, em Barcelona, um seminário internacional sobre o papel da diplomacia pública na era digital.

A internacionalização da Catalunha

Após a suspensão do governo da Catalunha, orquestrada pelo Estado espanhol em outubro de 2017, um bom número de delegações catalãs em outros países foi aberto. A abertura e reabertura foram levadas a cabo quando Ernest Maragall, atual candidato ao cargo de prefeito de Barcelona, era o secretário de Relações Exteriores da Generalitat de Catalunya. Hoje, Alfred Bosch, que concorria ao cargo na Prefeitura da capital catalã, é o responsável pelo departamento. No mês de maio, Bosch fez algumas visitas a países europeus para internacionalizar o conflito político na Catalunha.

Notícia relacionada: Parlamento da Islândia recebe Alfred Bosch

Enquanto Bosch e Carles Puigdemont, líder do Conselho da República, trabalham pela internacionalização da Catalunha, Diplocat é reativado, e a opinião internacional sobre o confronto político entre Catalunha e Espanha vê como o Ministro de Relações Exteriores do Estado espanhol, Josep Borell, trata o tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *